Como lidar com a depressão?

O médico Marcelo Piquet, do Espaço Village, explica o que é a depressão e como tratá-la.

Depressão é um termo técnico para um conjunto de situações diversas. Em comum, as pessoas com depressão têm os mesmos sintomas: tristeza intensa na maioria dos dias, sensação de indiferença diante de estímulos antes prazerosos, insônia ou hipersonia, perda ou ganho de peso, fadiga, sentimento de culpa e inutilidade, dificuldade de concentração, pensamento de morte, entre outros.

Os sintomas causam sofrimento intenso e atrapalham o desenvolvimento das tarefas do dia a dia.

Estes sintomas aparecem, muitas vezes, após um evento estressante (divórcio, mudanças na vida financeira, doença em parentes).

Embora ao contrário do que se imagina, podem aparecer sem qualquer motivo aparente e nenhum estresse identificável. Atendi uma paciente certa vez que me disse: “Dr. Marcelo minha vida é boa, não tenho problemas sérios de nenhum tipo, porém não consigo sair da cama, não consigo fazer nada, nada me dá prazer e estou muito triste.”

Quando o início é abrupto, a própria pessoa acometida ou os parentes rapidamente notam uma grande mudança. Mas, muitas vezes, o início é lento e ocorre durante meses, tornando mais difícil identificar o problema e retardando a procura por tratamento.

Imagine uma mãe de 60 anos que perdeu o filho, um pai de família que perdeu o emprego ou um casal que se divorciou. Progressivamente essa pessoa pode ficar socialmente isolada, com irritabilidade, insônia e tristeza. Se os sintomas duram pelo menos duas semanas o diagnóstico de depressão pode ser feito.

Curiosamente quando explicamos às pessoas próximas que se trata de depressão a maioria reage dizendo: “Mas claro, ela acabou de perder o filho, é normal ela estar assim”. Ou seja, luto, depressão e tristeza se confundem, muitas vezes, atrasando o tratamento. Na dúvida, procure um médico psiquiatra, ele saberá estabelecer a diferença.

A depressão é mais comum em mulheres do que em homens na proporção de 2:1. A incidência de depressão é de aproximadamente 12% em homens e 20% em mulheres. E aumenta com a idade, sendo mais comum em idosos, mas também ocorre em crianças.

Tratamento

Psiquiatria e Saúde Mental

Tel.: (21) 2538-1202
Clique aqui e saiba mais

Em geral, o tratamento para depressão é feito com antidepressivos e psicoterapia. Os antidepressivos surgiram nos anos 60 e se aprimoraram bastante desde então, são substâncias seguras e não causam dependência. São eficazes em 60 a 70% dos casos. Pode ser necessária a associação de mais de um antidepressivo durante o tratamento. Também pode haver a necessidade de substituir o antidepressivo durante o tratamento para melhorar a resposta.

Isso também é comum durante outros tratamentos, como hipertensão arterial e diabetes. As psicoterapias também evoluíram muito. A mais estudada é a terapia cognitivo comportamental (TCC), embora haja evidência que outras terapias melhoram a resposta terapêutica quando usadas em conjunto com os antidepressivos. O resultado é sempre melhor quando terapia e antidepressivos são usados.

Há evidências que sugerem que ser casado, trabalhar, praticar exercícios físicos, ter família, ter um animal de estimação e uma vida social saudável gera proteção contra o aparecimento da depressão. O uso de drogas ou álcool de forma abusiva, ter doença crônica ou ter uma vida social restrita, podem facilitar o aparecimento dos sintomas.

O bom condicionamento físico melhora a depressão em pacientes com doenças crônicas e esta associação aumenta o risco de mortalidade por diminuição da capacidade física, causada pelo sedentarismo e a piora de problemas clínicos.

A depressão tende a ser recorrente. Costumo explicar aos pacientes que há similaridade com asma, diabetes ou pressão alta. Ter depressão faz parte da predisposição biológica do indivíduo e que depois do primeiro episódio é necessário estar atento aos sintomas, para que, caso reapareçam, a reintrodução do tratamento seja feita.

Ouço as pessoas dizerem: “Fulano era tão alegre, como pode ter depressão?” ou “Ele tem uma cabeça boa e é inteligente, como foi ter depressão?”. Sempre dou a mesma resposta: “Pelo mesmo motivo que alguém tem asma ou diabetes, predisposição biológica.” Como nestas outras patologias, quando o tratamento é feito, a qualidade de vida tem uma grande melhora. Portanto, se você acha que tem depressão procure um especialista.

Matéria publicada pela revista Saúde Premium (março /2017).

Veja Também

Comments are closed.