Você sabia que existe associação do câncer de cabeça e pescoço ao consumo de cigarro e álcool?

A cada 10 pessoas diagnosticadas com a doença, 8 são fumantes e 50% dos casos registrados mostram ligação direta com o consumo de álcool.

Um pesquisa feita pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo revelou dados alarmantes referente ao Câncer de cabeça e pescoço.
Segundo a pesquisa, a cada 10 pessoas diagnosticadas com a doença, 8 são fumantes e 50% dos casos registrados mostram ligação direta com o consumo de álcool. E não para por aí, pois conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), esse diagnóstico é registrado em três de cada dez tumores relacionados a hábitos evitáveis.

O câncer de cabeça e pescoço afeta de duas a três vezes mais homens do que mulheres e a doença se mostra mais frequente em pacientes com idade entre 50 e 60 anos.

Sintomas

Normalmente, os sintomas deste tipo de câncer aparecem na boca, nos seios, no nariz ou na garganta e incluem ferida ou nódulo que não cicatriza, dor de garganta persistente, dificuldade para engolir e alteração na voz.
Também é comum a pessoa ter: afta, anormalidade no paladar, perda de peso ou sangramento.

Tratamento e prevenção

A busca pela cura dos cânceres de cabeça e pescoço passa pela cirurgia ou radioterapia, dependendo da localização e do tamanho do tumor. A escolha do tratamento deve ser feita por uma equipe de médicos especialistas para definir a melhor opção e minimizar sequelas.
O diagnóstico precoce é essencial para que seja possível realizar um tratamento com boas chances de cura. O surgimento de lesões (nódulos, massas, machucados) em pessoas que já possuem fatores de risco deve ser sempre investigado.

Ter uma vida saudável e equilibrada diminui muitos problemas, desde o risco de câncer até ameaça de doenças do coração. Então, evitar o tabagismo e a ingestão de bebida alcoólica favorece diretamente a prevenção de câncer de cabeça e pescoço. Prevenção ainda é a melhor opção.

Fonte: Estadão/R7

Comments are closed.